Segunda, 12 Julho 2021 17:01

REJEIÇÃO DOS MINISTROS DO STF EM ALTA

Avalie este item
(0 votos)

Reprovação do STF cresce e alcança 33%, diz DataFolha

PoderData mostrou no mês passado que 31% consideravam o trabalho do STF como “ruim” ou “péssimo”

Fachada do Supremo Tribunal Federal. Brasília
POR PODER

 

Pesquisa do Datafolha divulgada nesta 2ª feira (12.jul.2021) pela Folha de S.Paulo mostra que 33% dos brasileiros consideram o desempenho dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) como ruim ou péssimo. No levantamento anterior, feito em agosto de 2020, a reprovação era de 29%.

 

A pesquisa ouviu 2.074 pessoas em 146 municípios. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

De acordo com o Datafolha, 24% dos entrevistados avaliam a atuação dos ministros como boa ou ótima. 36% avaliam como regular e os outros 7% não souberam responder.

Pesquisa realizada pelo PoderData no mês passado, mostrou que a taxa dos que consideravam o trabalho do STF como “ruim” ou “péssimo” era de 31%.

 

STF X BOLSONARO

De acordo com o PoderData, o trabalho do Supremo é considerado “ruim” ou “péssimo” principalmente entre quem apoia o presidente da República. Dos que acham Jair Bolsonaro “ótimo” ou “bom”, 52% avaliam o STF negativamente.

Para metade dos que acreditam que Bolsonaro é “ruim” ou “péssimo”, a atuação da cúpula do Poder Judiciário é “regular”.

No sábado (10.jul.2021), o presidente Jair Bolsonaro disse, sem apresentar qualquer evidência, que o ministro Luís Roberto Barroso, do STF, defende a pedofilia e não deveria estar na Corte. Afirmou que o lugar dele é no Congresso, onde pode defender as suas opiniões.

Supremo negou que o ministro tenha defendido a redução da maioridade para estupro de vulnerável. Em 2017, o magistrado votou para manter ação contra rapaz de 18 anos acusado de ter relações sexuais com uma menina de 13 anos

Em junho, Bolsonaro criticou decisões tomadas pelo ministro Barroso e por Edson Fachin no STF. A ministra Rosa Weber também foi citada.

“É um escárnio o que o Barroso fez. Ele deu liminar para o Psol, partido do Boulos, invasor de propriedade, garantindo durante a pandemia não haver reintegração de posse para quem por ventura invadiu terra no passado”, disse.

E continuou: “Isso é típico de comunista, socialista, de quem não é pro-mercado, ditador, decisão do Barroso. Ele inclusive é contrário ao que defende a maioria da população brasileira nas pautas conservadoras”.

Em abril, o STF decidiu anular as decisões da Justiça Federal de Curitiba contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em 4 processos da Lava Jato, tornando-o elegível para as eleições de 2022.